Engenhar ideias, produzir soluções!

Category : Conteúdo

Gestão da manutenção: Como ter o funcionamento regular e permanente das máquinas da sua empresa.

Histórico

A manutenção das máquinas existe desde a revolução industrial. Nessa época os equipamentos eram superdimensionados e possuíam projetos simples, desta maneira o reparo era mais fácil, e garantia alta durabilidade. A manutenção se restringia basicamente em limpeza e lubrificação do maquinário.

Com o passar da segunda guerra mundial, a manutenção se expandiu com a crescente mecanização das indústrias, e ganhou corpo a partir da década de 70, pois surgiu a necessidade de maximizar a vida útil das máquinas, e passou a existir a preocupação com a disponibilidade e confiabilidade do maquinário, além da segurança e qualidade dos produtos produzidos.

Problemas da falta de manutenção

A falta de manutenção não gera apenas custos de reparo nas máquinas da empresa. A falta de reparo constante pode causar:

  • Dano total à máquina;
  • Queda na qualidade dos produtos;
  • Altos custos de mão-de-obra, peças e serviços;
  • Tempo de máquina e instalações inoperantes;
  • Causar perda de produção;
  • Causar acidentes, danos ao meio-ambiente;

Somados todos os fatores acima, é inevitável que sua empresa saia atrás da concorrência no mercado. A gestão de manutenção veio para demonstrar como é possível minimizar os impactos dos gastos com manutenção com estratégias que refletem diretamente nos resultados da organização.

O que fazer?

É válido lembrar que existe mais de um tipo de manutenção, e cada empresa possui equipamentos que se enquadram mais adequadamente para cada tipo de gestão, seja ela corretiva, preditiva ou preventiva.

A Manutenção, como função estratégica das organizações é responsável direta pela disponibilidade do maquinário da empresa, tem importância vital nos resultados da empresa. Esses resultados serão tanto melhores quanto mais eficaz for a Gestão da Manutenção.

Sua empresa não possui uma gestão da manutenção? Que tal conhecer um pouco mais? Entre em contato com a Soluções e tenha um diferencial na sua empresa.

Texto em 07/06/2016
Escrito por Renan Santos
Gerente de Relações Públicas

Fontes: Gestão da Manutenção e SENAI

Por que padronizar os processos da sua empresa?

Atualmente encontramos uma infinidade de empresas no mercado oferecendo os mais variados tipos de produto/serviço. Diversas pessoas realizam diversas tarefas diferentes com o intuito de gerar a melhor entrega possível do produto final. Mesmo com toda essa variedade, podemos ter certeza de uma coisa: toda empresa trabalha com processos.

Mas se as atividades não são realizadas por uma única pessoa, como é possível garantir que a entrega final saia dentro das conformidades exigidas? A resposta é a padronização dos processos.

Quando se padroniza um processo a empresa diz que aquela forma de se realizar uma tarefa é a melhor encontrada até o momento. Cada operação do processo será descrita detalhadamente durante toda a sua execução, como um manual de instruções do controle remoto da sua televisão. Fazendo isso, a empresa passa a implementar a cultura de “fazer certo na primeira vez”.

Então surge o questionamento: padronizar cada operação de cada processo da minha empresa vai exigir muito esforço e dedicação. Além disso vai atrasar a produção, vai desgastar os meus funcionários e vai acabar complicando o que já está dando certo, não preciso disso! A maioria das empresas chega a essa conclusão equivocada, perdendo os benefícios que a padronização traz, entre eles:

  • Reduzir o desperdício;
  • Reduzir o consumo de materiais;
  • Utilizar adequadamente equipamentos, materiais e mão-de-obra;
  • Uniformizar a produção;
  • Melhorar o nível técnico da mão-de-obra por facilitar treinamentos;
  • Registrar o conhecimento tecnológico;
  • Reduzir a variedade do mesmo produto;
  • Aumentar a produtividade e qualidade.

Quais critérios você utilizou para decidir a sua rotina diária pessoal? É certo que você escolheu o melhor trajeto para chegar ao trabalho, por exemplo, aquele que não deixa brechas para optar por outra trajetória, até porque você economiza tempo e dinheiro com ele. Portanto, qual o motivo de não reestruturar suas operações em relação a esses mesmos critérios? Padronize a rotina da sua empresa e entregue resultados melhores.

Ainda tem dúvidas de que a Padronização dos Processos pode tornar a sua empresa mais competitiva no mercado?

Texto em 28/05/2016
Escrito por Nathalia Zandomingo
Diretora de Relações Públicas

Por que contratar uma Consultoria Júnior em momentos de crise?

 

Sabe-se que em momentos de crise a preocupação das empresas com a manutenção ou mesmo melhoria da produtividade é evidente. Para tanto, cresce a importância de planejar os processos de forma a otimizar os recursos empresariais possibilitando redução de custos e a maximização dos lucros.

Nesse sentido, existem alguns desafios quanto a tomadas de decisão administrativas:

  • Encontrar nível de estoque ideal para minimizar custos com armazenagem e capital imobilizado ao mesmo tempo em que haja garantia da disponibilidade de produtos para atender a demanda;
  • Entender as causas de variabilidade dos produtos e agir na padronização de processos a fim de assegurar o mínimo de padronização necessário para atender os requisitos exigidos;
  • Compreender margem de contribuição de cada produto e priorizar os mais rentáveis;
  • Organizar o ambiente de trabalho, identificar atividades chaves e eliminar trabalhos que não agregam valor;
  • Definir melhor sequenciamento de atividades e evitar retrabalho.

E diante dessas necessidades, o profissional que possui know-how para atacar em todas essas frentes é justamente o Engenheiro de Produção. Sua capacidade multidisciplinar e seus conhecimentos técnicos de gestão e economia, fazem com que ele atue de forma mais focada para ajudar a empresa a enfrentar esse período mais complicado. Através da atuação em áreas como qualidade, gestão estratégica e engenharia organizacional o engenheiro é o mais apto a salvar indústrias e empresas de qualquer ambiente de crise e recessão.

E o mercado já reconhece essa capacidade. A engenharia de produção é, dentre as engenharias, a que menos sofre com a crise e também é a profissão mais bem valorizada e remunerada. Então estamos diante de um paradoxo? Em crise devemos reduzir nossos custos e para isso procuramos um engenheiro de produção que é justamente um dos profissionais com média salarial mais alta do mercado? É exatamente nesse sentido que uma consultoria júnior pode ser a solução mais adequada.

As empresas juniores são formadas por estudantes que, orientados por seus professores, prestam serviços que apesar de possuírem alta qualidade são oferecidos por preços muito abaixo do mercado, por ser uma organização sem fins lucrativos.

Conheça nosso Portfólio de Serviços e entre em contato para que possamos ajudar sua empresa a se destacar no mercado. 

Texto em 20/05/2016
Escrito por Laís Borges Nascimento
Gerente de Relações Públicas

A Engenharia Mecânica aplicada na Roda de Falkirk

O PROBLEMA…

A cidade de Falkirk, na Escócia, possui dois canais que permitem a passagem de embarcações. O problema desses canais que se cruzam é que há um desnível de cerca de 24 metros entre os dois, o equivalente a um prédio de 8 andares. Para superar esse problema, eram utilizadas cerca de 11 eclusas, que nada mais são do que “elevadores hidráulicos” para fazer com que embarcações subam ou desçam de um local a outro. E para passar por todas essas eclusas, as embarcações levavam cerca de um dia inteiro.

A SOLUÇÃO…

Em substituição à todas as eclusas, engenheiros criaram a roda de Falkirk. A roda funciona como um elevador giratório, usa o princípio de Arquimedes além de motores hidráulicos que consomem pouca energia. A roda possui cerca de 35 metros de diâmetro, e embarcações de quase 7 metros de comprimento. E o melhor de tudo, o percurso hoje em dia pode ser realizado em apenas 5 minutos!

PONTO TURÍSTICO…

Inaugurada em 2002, a roda de Falkirk se tornou ponto turístico da cidade. Após seu processo de montagem que rendeu até mesmo uma escavação de 250 mil metros cúbicos, o local conta com um centro para que visitantes possam conhecer a imponente obra, e fazer o passeio de barco. Estima-se que mais de 1,5 milhão de pessoas já fizeram o tour de barco. A obra já foi premiada pela organização britânica de turismo verde por não causar quase nenhum impacto ao meio ambiente e ser eficiente em gasto energético

O PAPEL DO ENGENHEIRO MECÂNICO…

O engenheiro mecânico possui inúmeras áreas de atuação, seja no projeto e manutenção de máquinas em geral, no desenvolvimento de sistemas térmicos, elétricos, automação industrial, e até na robótica.
No caso da roda de Falkirk, o engenheiro mecânico tem conhecimento teórico para elaborar o projeto hidráulico, mecânico, estrutural e de seleção dos materiais, ou seja, praticamente todo o projeto. É importante frisar que o conhecimento é uma parte fundamental na engenharia, mas a consciência para SOLUCIONAR problemas de maneira criativa e sustentável torna o mundo melhor.

Texto em 13/05/2016
Escrito por Renan Santos
Gerente de Relações Públicas

A Engenharia de Produção aplicada na Disney

O QUE FAZ UM ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO?

Teoricamente, a função do engenheiro de produção é procurar maneiras de eliminar o desperdício nos processos de produção. Eles elaboram sistemas eficientes integrando pessoas, máquinas, materiais, informação e energia para fazer um produto ou prestar um serviço.

O foco é em como trabalhar de uma forma mais eficiente, equilibrando variados fatores, como o tempo, o número de trabalhadores necessários, a tecnologia disponível, as ações que os trabalhadores precisam realizar garantindo a segurança dos mesmos, o alcance do produto/serviço final sem erros, as preocupações ambientais, e o custo.
Para encontrar maneiras de reduzir o desperdício e aumentar a performance, é necessário estudar os requisitos do produto/serviço com cuidado. Em seguida, utilizam-se métodos matemáticos e modelos para projetar sistemas de produção e de informação para atender a essas exigências de forma mais eficiente.

A versatilidade dos engenheiros de produção permite que esses profissionais se envolvam em atividades que são úteis para várias empresas, governos e organizações sem fins lucrativos. Por exemplo, essa engenharia envolve a gestão da cadeia de suprimentos para minimizar custos de estoque, atividades de garantia de qualidade de conduta para ajudar empresas a manterem suas bases de clientes satisfeitos, e trabalha no gerenciamento de projetos, um processo no qual todas as indústrias procuram controlar custos e maximizar eficiência.

Mas como visualizar todas essas funções na prática? Para isso, vamos pensar como o Engenheiro de Produção contribui para o funcionamento de um dos parques mais famosos do mundo, o MUNDO MÁGICO DE WALT DISNEY.

Quando você decide por esse destino, a primeira coisa a se fazer é uma simples reserva…

 A Disney recebe, aproximadamente, 10 milhões de ligações por ano quando o assunto são as reservas. Para que a qualidade dos serviços oferecida pelo parque seja percebida desde o primeiro momento, os engenheiros de produção desenvolvem projetos estratégicos, definem metas para diminuir o tempo de espera, trabalhando desde o treinamento de funcionários até a demanda de ligações.

Finalmente chegamos, vamos para o hotel…

 A Disney possui mais de 25 resorts disponíveis que envolvem mais de 6 milhões de check-ins anuais. Para lidar com essa quantidade de informação, os engenheiros de produção definem os melhores arranjos, medem os impactos de novas ferramentas e sistemas e conduzem análises de capacidade de demanda. Além disso, otimizam o processo de entrega de bagagem aos quartos.

Nos quartos, é necessário gerenciar a cadeia de suprimentos e o sistema de inventário para oferecer a quantidade certa de toalhas e roupas de cama limpas para cada uma das aproximadamente 25 mil unidades e garantir a confiabilidade desse processo.

Agora vamos nos divertir…

 O parque possui uma área imensa e para que todos cheguem aos lugares desejados com o menor tempo possível, o engenheiro de produção coloca em prática a pesquisa operacional e modelagem para obter a otimização de rotas somado a todos os meios de transporte.

Hora das compras…

 Até 2 bilhões de transações por ano são feitas em cada loja do complexo. Para gerenciar esse número, o papel aqui é analisar a capacidade de demanda, amostragem do trabalho e melhoria dos processos, otimizando o fluxo de consumidores e reduzindo o tempo de espera. Em relação à alimentação, o engenheiro de produção gerencia a eficiência geral das operações, determinando o número de atendentes, mesas e restaurantes. Somado a isso, o estoque de produtos que irão suprir as necessidades acima deve ser gerenciado.

Quando o assunto é inovação…

 Vários aspectos sobre abrir novas atrações são parte do trabalho do engenheiro de produção: capacidade, gerenciamento de filas e fluxo de pessoas; e depois da atração lançada, gerenciamento dos tempos de espera, rendimento, utilização e efeitos gerais na dinâmica do parque.

Pensando sobre o futuro…

 O Engenheiro de Produção irá ajudar no desenvolvimento de produtos/serviços e aplicar as melhores práticas para construir novos parques temáticos ao redor do mundo.

E aí, você imaginava a importância da atuação do Engenheiro de Produção em todas essas áreas do parque?

 

Texto em 29/04/2016
Escrito por Nathalia Zandomingo
Diretora de Relações Públicas

Fontes: Bureau of Labor Statistics e Institute of Industrial Engineers