Engenhar ideias, produzir soluções!

Category : Conteúdo

Como eliminar desperdícios e aumentar sua produtividade em 5 etapas

Após a Segunda Guerra Mundial, o Japão passava por um momento de reconstrução e inserção em um mercado competitivo, entretanto, as indústrias japonesas eram sujas e desorganizadas e precisavam ser reestruturadas. Então, tornou-se necessário criar um ambiente de trabalho adequado para uma maior produtividade e que gerasse produtos de qualidade. Assim surgiu o 5S.

Essa ferramenta é responsável por cuidar dos ambientes, equipamentos, materiais, medidas e pessoas. Ele auxilia na criação da cultura da disciplina, identifica problemas e gera oportunidades de melhorias, o que traz como retorno imediato maior produtividade, segurança, motivação dos funcionários e consequente melhoria da competitividade.

É possível eliminar os desperdícios da sua empresa, através de cinco fases, ou cinco “sensos” que compõe o 5S. São eles:

  • SEIRI – Senso de Utilização

Refere-se a evitar, ou mesmo descartar, o que for desnecessário, melhorando assim o uso do que realmente é útil.

  • SEITON – Senso de Organização

Significa deixar tudo em ordem, deixar as coisas arrumadas e em seu devido lugar para que seja possível encontrá-las facilmente sempre que necessário.

  • SEISO – Senso de Limpeza

Agora que tudo está em ordem e não temos nada supérfluo no ambiente de trabalho, é necessário que ele permaneça limpo e, portanto, que as causas de sujeira sejam eliminadas.

  • SEIKETSU – Senso de Padronização

É hora de padronizar as práticas saudáveis e zelar pela melhoria contínua. Essa etapa requer perseverança, pois se não houver mudanças no comportamento das pessoas e nas rotinas que geram sujeira as etapas anteriores serão invalidadas.

  • SHITSUKE – Senso de Disciplina

Para que a metodologia aplicada seja realmente eficiente é necessário torna-la um hábito, um modo de vida. As pessoas envolvidas devem assumir a responsabilidade e cumprir os padrões definidos pelo 5S. Se o Shitsuke está sendo executado significa que todas as etapas do 5S estão sendo consolidadas. 

O 5s passa a funcionar no momento que o colaborador internaliza este conceito e o coloca em prática, e a partir desse momento, os benefícios são garantidos. Alguns dos benefícios obtidos:

  • Melhoria do ambiente de trabalho
  • Maior produtividade
  • Melhoria da qualidade de produtos e serviços
  • Maior satisfação das pessoas com o trabalho
  • Diminuição do desperdício
  • Redução de despesas e melhor aproveitamento de materiais 

Interessado em controlar seus processos afim de assegurar o resultado final, entregando os produtos conforme expectativa do seu cliente? Entre em contato com a Soluções!

Texto em 19/11/2016
Escrito por Ana Paula Alves dos Santos
Gerente de Relações Públicas

Ciclo PDCA: Como melhorar continuamente os processos da sua empresa

Em um mercado cada vez mais competitivo as empresas precisam buscar por ferramentas que auxiliem no aperfeiçoamento de seus processos e garantam uma vantagem perante as demais empresas. O Ciclo PDCA é um exemplo de metodologia fundamental para otimizar a gestão do negócio, pois facilita a tomada de decisão e o alcance de metas. Além disso, possui vasta área de aplicação podendo ser utilizado em qualquer tipo de empresa.

O PDCA é uma ferramenta de gestão que tem como principal objetivo a melhoria contínua dos processos por meio de um circuito de quatro ações: planejar (plan), fazer (do), checar (check) e agir (act).

  • Planejar

Essa é a etapa em que os problemas a serem resolvidos são analisados. É necessário elaborar um plano que pautado nas diretrizes estratégicas da empresa determine um caminho para resolver os problemas levantados. São estabelecidos também os objetivos e as metas do ciclo. É necessário mover esforços nessa primeira fase visto que quanto melhor for o planejamento realizado, melhores serão as metas atingidas.

  • Executar

Após um planejamento cuidadoso, é hora de colocá-lo em prática conforme o previsto. Esta é a etapa mais importante do Ciclo PDCA, e deve ser acompanhada bem de perto para que em nenhum momento se desvie do que foi planejado.

  • Checar

Nesse estágio as metas alcançadas e resultados obtidos são mensurados através dos dados coletados e do mapeamento de processos ao final da execução. A checagem pode ser feita de duas formas: junto com a execução, para ter certeza que o trabalho está sendo bem feito; ao final da execução, para uma análise mais abrangente que permita os ajustes e acertos necessários. O principal objetivo desta fase é detectar eventuais erros ou falhas. É preciso fazer um monitoramento sistemático de cada atividade elencada no plano de ação e comparar o previsto com o realizado, identificando gaps que podem ser sanados em um próximo ciclo, assim como oportunidades de melhoria que podem ser adotadas futuramente.

  • Agir

É o momento de corrigir as falhas identificadas na etapa anterior. É simultaneamente fim e começo, pois após uma análise detalhada do que tenha causado os erros anteriores, todo o ciclo PDCA é refeito com novas diretrizes e parâmetros para se buscar uma melhoria contínua e ininterrupta. Em caso de todas as metas terem sido atingidas, esta é a fase em que se adota o plano aplicado como padrão.

Essas quatro etapas ajudam a entender não só como um problema surge, mas como ele deve ser solucionado, focando na causa e não nas consequências. Partindo do pressuposto de que é sempre possível melhorar, o Ciclo PDCA não possui fim. A cada ciclo concluído inicia-se outro, sucessivamente, até que seja possível encontrar um padrão mínimo de qualidade para atender às expectativas do cliente e tornar a empresa cada vez mais eficiente em seus processos.

A melhoria contínua ocorre quanto mais vezes o Ciclo PDCA for executado. A partir do momento que os processos são otimizados, os custos podem ser reduzidos e a produtividade aumentada. Se sua empresa conseguir se estruturar dentro das quatro etapas do PDCA, sem dúvidas ela terá maiores chances de alcançar seus objetivos.

Tem interesse em otimizar os processos da sua empresa? Entre em contato com a Soluções.

Texto em 06/11/2016
Escrito por Ana Paula Alves dos Santos
Gerente de Relações Públicas

Verão? Calor? Saiba a importância de um bom projeto de Climatização!

Atualmente, as pessoas buscam cada vez mais por qualidade de vida e satisfação com os ambientes frequentados. Seja o ambiente de trabalho, diversão, compras, estudos, enfim, em todos os lugares não há como negar as exigências de conforto térmico e qualidade do ar que respiramos.

Conforto Térmico

Está comprovado através de estudos e na prática do dia a dia que as pessoas, sentindo-se confortáveis, produzem mais, sentem-se mais dispostas e ficam mais propensas a consumirem pois preferem permanecer num ambiente agradável. Não é à toa que empresas, escolas e shoppings centers investem em instalações de ar condicionado, pois sabem que o retorno do investimento é garantido (LOPES, O. G.).

Então, o que fazer?

Diante dessa questão, algumas pessoas logo optam por comprar um sistema que exija o menor investimento inicial, contratando apenas uma empresa instaladora para climatização do ambiente desejado.

Com o passar do tempo quem contrata esse tipo de instalação sem nenhum projeto percebe que a conta de energia tem um aumento de mais de 50% só com o consumo de ar condicionado.

Fica claro assim que qualquer sistema de refrigeração requer um bom projeto, com uma avaliação prévia e criteriosa. O sistema é projetado de acordo com as necessidades do ambiente, estudando o espaço a ser climatizado, a média de ocupantes do ambiente, entre outras necessidades segundo as normas exigidas. Portanto, é um investimento que reduz o consumo elétrico desnecessário e tem um retorno rápido.

E o melhor…

A melhor notícia é que você pode contratar um projeto com preço abaixo do mercado e de qualidade, onde você terá ao seu dispor uma equipe de estudantes de Engenharia acompanhados por um professor, sem qualquer interesse na venda de equipamentos, que projetarão a instalação na capacidade adequada, com soluções que atendam às suas necessidades, dentro da disponibilidade prevista para investimento.

Não permita que um ambiente desconfortável atrapalhe a produtividade da sua empresa, entre em contato com a Soluções!

Texto em 20/10/2016
Escrito por Geovani Francisco de Souza
Gerente de Projetos

Fontes: Osvaldo Guilen Lopes, Jornal e Site da AEASV, Frio Engenharia, Zeon Refrigeração

 

Planejamento Estratégico: Como alcançar os objetivos da sua empresa

O Planejamento Estratégico é uma ferramenta essencial para uma boa administração. Ele define os caminhos que a organização deve trilhar para crescer no ritmo desejado, conciliando as oportunidades oferecidas pelo ambiente externo às condições internas. Para definir esse caminho é preciso responder três questões principais:

  • Onde estamos?

Primeiramente, realiza-se uma análise da organização sob diversos ângulos, através da qual, são levantados pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades e como esses fatores podem afetá-la.

  • Para onde queremos ir?

É o momento de definir os objetivos da empresa a partir do exame dos seus dados históricos, ou seja, quais os resultados que se pretende alcançar.

  • Como chegar lá?

Após a definição dos objetivos é preciso traçar maneiras para alcançá-los.  As estratégias adotadas pela empresa auxiliarão nas tomadas de decisão e na integração de todos os setores na busca por um objetivo comum.

O Planejamento Estratégico oferecido pela Soluções Consultoria é baseado na metodologia do Balanced Scorecard (BSC), que é uma ferramenta de gestão utilizada para alinhar toda a organização à sua estratégia. O objetivo do BSC é alcançado através das seguintes ações:

  • Esclarecimento e tradução da visão e da estratégia;
  • Comunicação e associação dos objetivos e medidas estratégicas;
  • Planejamento, estabelecimento de metas e alinhamento de iniciativas estratégicas;
  • Melhora do feedback e do aprendizado estratégico.

Os benefícios advindos da implantação da metodologia do BSC são inúmeros. Entre eles: melhor identificação das partes interessadas em confronto com os serviços oferecidos, tomada de decisão baseada em dados e fatos e não em avaliações subjetivas, ampliação da percepção estratégica de todos os níveis hierárquicos, melhor compreensão dos processos da empresa, definição de um posicionamento competitivo e muitos outros.

Sua empresa quer ir para onde? A Soluções pode te ajudar a chegar lá! Entre em contato conosco.

Texto em 16/10/2016
Escrito por Ana Paula Alves dos Santos
Gerente de Relações Públicas

 

Identificando os desperdícios na produção para eliminar custos

Em tempos de crise, nada mais interessante que reduzir custos, principalmente se estes são provenientes de atividades que não agregam valor aos produtos da empresa. Essas atividades podem conter desperdícios e elementos desnecessários que muitas vezes não estão visíveis e, portanto, exigem um estudo para serem identificados. Eliminar os desperdícios, sem prejudicar a qualidade dos processos, é uma forma eficiente de maximizar o desempenho da sua empresa e, consequentemente, aumentar seu lucro.

Vamos começar conhecendo quais são os 7 tipos de desperdícios mais comuns em uma linha de produção?

  • Superprodução: Produzir mais que o cliente precisa e no momento errado. É uma das piores formas de desperdício e é responsável por gerar todos os outros.
  • Estoque: Excesso de matéria-prima ou produtos acabados ocupam espaço, atrapalham o fluxo contínuo dos processos, além de representar dinheiro parado. A ideia é produzir o necessário no momento requerido.
  • Espera: É o tempo ocioso devido a materiais, pessoas, equipamentos ou informações que não estão prontos no momento em que são solicitados. A espera é o grande gargalo da produção.
  • Transporte: Movimentação desnecessária de material, equipamentos ou ferramentas que gera custos e que não agrega valor nenhum ao produto final.
  • Defeitos: O trabalho que contém erros gera desperdício de material através do descarte do produto defeituoso e retrabalho com a fabricação de um novo produto. A qualidade consiste em fazer certo na primeira vez, por meio da padronização e redução da variabilidade.
  • Movimentação: Movimentação desnecessária dos trabalhadores devido, muitas vezes, a um layout de produção ruim, gerando assim atrasos na fabricação.
  • Processamento: Processos desnecessários que, em geral, tomam tempo e dinheiro e não agregam valor para o cliente.

Já identificou algum dos 7 desperdícios na sua empresa? A Soluções Consultoria pode te ajudar a conhecê-los ainda melhor e mais que isso: eliminá-los! Conheça nosso Portfólio de Serviços e entre em contato conosco.

Texto em 30/09/2016
Escrito por Ana Paula Alves dos Santos
Gerente de Relações Públicas

Gerenciando Estoques

Imagine se as empresas soubessem exatamente qual a quantidade demandada dos seus produtos… Provavelmente, elas comprariam a quantidade exata de suprimentos para a fabricação e comercializariam tudo o que produzissem! 

Mas, na prática, não é bem assim que acontece!

Tanto a demanda dos produtos quanto o fornecimento de suprimentos variam de acordo com diversos fatores. Para tanto, podem ser utilizadas previsões a fim de minimizar a falta de insumos no sistema produtivo e buscar assegurar o atendimento pleno dos pedidos. Para atender às necessidades decorrentes de variações na previsão, ou até mesmo para garantir o ressuprimento quando não são feitas previsões, utiliza-se o estoque.  

A ausência de estoque de materiais pode limitar a produção e consequentemente as vendas da empresa, bem como, o excesso de materiais gera um alto custo para ela. E é aí que surge a Gestão de Estoques, uma ferramenta de estratégia fundamental para a sobrevivência do negócio.

A Gestão de Estoques consiste em metodologias para estudo e análise do controle do fluxo de materiais dentro da organização, apontando ainda informações importantes sobre previsão de vendas e compras. Desde que feito de maneira eficiente, o gerenciamento do estoque proporciona:

imagem2

Um bom controle de estoque, além de trazer diversas vantagens para a empresa, permite atender os clientes na hora desejada e, principalmente, com a quantidade necessária, garantindo assim a satisfação dos mesmos. 

Quer saber um pouco mais? Entre em contato com a Soluções!

 

Texto em 09/09/2016
Escrito por Ana Paula Alves dos Santos
Gerente de Relações Públicas

Análise e Melhoria de Layout: Como aumentar o desempenho da sua empresa

Um Projeto de Fábrica e Análise de Layout de uma operação produtiva consiste em determinar a localização de cada instalação, equipamento ou de pessoal em um ambiente de trabalho, sendo que essa localização possui influência direta sobre os processos da empresa. 

O objetivo da Análise de Layout é otimizar a disposição espacial do ambiente de trabalho afim de aumentar o desempenho dos processos da organização. Ele pode auxiliar o projeto de instalação ou ampliação de unidades produtivas, além de impactar diretamente na qualidade do serviço prestado pela empresa.

Por que executar esse Projeto?

Os benefícios alcançados com a implantação de um Projeto de Análise de Layout são:

  • Melhor utilização dos espaços disponíveis
  • Redução dos riscos de acidentes para os trabalhadores
  • Melhores condições de trabalho
  • Melhor controle de qualidade
  • Redução da movimentação de pessoas, materiais e equipamentos
  • Melhor alocação de recursos

Uma simples mudança no arranjo implica em alterações no fluxo e na produtividade, possibilita a redução de custos e a eficácia geral da produção.

Os estudos sobre arranjos físicos podem ser aplicados em qualquer lugar onde houver movimentação de materiais, informações, pessoas e equipamentos, ou seja, em qualquer setor produtivo. 

Gostaria de otimizar os espaços e a alocação dos recursos disponíveis em sua empresa? Pronto para melhorar seus processos e reduzir custos? Entre em contato com a Soluções!

 

Texto em 19/08/2016
Escrito por Ana Paula Alves dos Santos
Gerente de Relações Públicas

Fontes: Engenharia de Produção – UFRGS

O funcionamento de uma Micro Usina Hidrelétrica

Anos atrás, morar em uma propriedade rural era sinônimo de problema quando se tratava de energia elétrica. Quando esta se encontrava longe de grandes e médios centros o fornecimento através de uma rede elétrica poderia se tornar inviável. A solução desses moradores muitas vezes era solucionada através de motores geradores movidos a diesel ou gasolina que são alternativas não ecológicas e que demandam gasto com combustível.

Frente a este cenário, tornou-se uma solução plausível a instalação de micro usinas hidrelétricas. As micro usinas ou mini centrais hidrelétricas, produzem eletricidade utilizando o potencial hidráulico existente em um rio, ou seja, convertem a vazão da água em energia elétrica. A energia produzida é renovável e o processo não emite gases poluentes, e esta solução ainda é visto com bons olhos nos dias de hoje visto que há retorno financeiro.

Funcionamento

Uma queda d’água de um córrego, rio ou igarapé constitui uma fonte hidro-energética. A energia pode ser gerada quando uma certa vazão de água é direcionada para uma turbina elétrica. O funcionamento desse sistema é idêntico ao de uma grande hidrelétrica, porém as dimensões nesse caso são totalmente reduzidas, dependendo da necessidade do cliente, e da disposição da queda de água.

Vantagens

Contar com essas micro usinas gera inúmeras vantagens para o proprietário como as listadas a seguir:

  • Constante fornecimento de eletricidade;
  • Baixo impacto ambiental;
  • Baixo ruído e poluição do ar;
  • Energia em áreas remotas e montanhosas onde não existe a extensão do sistema público;
  • Gasto resumido à manutenção da usina.

Posso contar com uma usina na minha propriedade?

As centrais podem fornecer energia suficiente para uma propriedade rural e até mesmo para uma comunidade inteira dependendo do caso. Portanto é necessário fazer um estudo detalhado para saber qual a necessidade demandada, qual turbina é mais indicada para cada aplicação, qual o tamanho da queda de água e qual a vazão do rio.

Se interessou em saber mais? Consulte a Soluções! Oferecemos a análise da viabilidade de instalação de uma micro usina.

 

Texto em 28/06/2016
Escrito por Renan Santos
Gerente de Relações Públicas

Análise de Custos: Como fazer uma Gestão Financeira eficiente

Entender a realidade de uma empresa é a base para a de tomada de decisões relacionadas à saúde financeira de uma organização.

Aqueles empreendimentos que não conhecem as margens de contribuição de cada serviço/produto pouco poderão agir para a priorização dos investimentos mais rentáveis, tampouco saberão quais gastos poderão ser minimizados se não possuem registrados quais são os custos que agregam valor real ao cliente e quais são despesas secundárias.

A gestão financeira eficiente mantém todas as informações administrativas e gerenciais atualizadas e permite uma análise de dados históricos que possibilita aos empreendedores identificar falhas e despesas desnecessárias de modo a planejar o melhor direcionamento dos recursos para a otimização dos lucros.

É muito comum o descontrole na gestão de custos das pequenas e médias empresas e, por isso a “Análise de custos” é atualmente o serviço mais procurado na Soluções Consultoria. Desde 2003 prestamos consultorias para identificar e classificar cada gasto das empresas contratantes, calculamos margens de contribuição e orientamos para que a correta gestão seja mantida pós término do projeto.

Conheça nosso Portfólio de Serviços e entre em contato para que possamos ajudar sua empresa a se destacar no mercado. 

Texto em 17/06/2016
Escrito por Laís Borges Nascimento
Gerente de Relações Públicas